Capa / INÍCIO / GERAL / Polícia Federal vai investigar causas do acidente em plataforma
Polícia Federal vai investigar causas do acidente em plataforma

Polícia Federal vai investigar causas do acidente em plataforma

A Polícia Federal (PF) informou nesta sexta-feira (13/02) que abriu inquérito para apurar as causas do acidente no navio-plataforma FPSO Cidade São Mateus, que causou a morte de cinco pessoas no litoral do Espírito Santo na quarta-feira (11/02). A polícia pediu nome e qualificação dos 74 tripulantes da embarcação à Petrobras, com a indicação das vítimas. O inquérito deve ser concluído em 30 dias.

Quatro pessoas continuam desaparecidas, entre elas um jovem de São Francisco de Itabapoana identificado com Tiarles Santos, de 25 anos. Mais de 20 pessoas ficaram feridas e duas estão internadas em estado grave. Uma equipe da PF fará uma inspeção no local quando a embarcação for liberada ao fim das buscas pelos desaparecidos.

A plataforma é operada pela BW Offshore, afretada pela Petrobras. A FPSO recebeu declaração de conformidade da Marinha em 2015 e a ANP fez uma atualização de documentação marítima em setembro de 2014. Entretanto, de acordo com o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Espírito Santo (Crea-ES) a empresa BW Offshore não tinha registro no órgão e, portanto, estava atuando irregularmente.

Já o Ministério Público do Trabalho do Espírito Santo (MPT-ES) iniciou investigação para apurar irregularidades trabalhistas, veiculadas pela imprensa. Um inquérito civil foi aberto na quinta-feira e para analisar a adequação do ambiente de trabalho dentro do navio-plataforma, a constitucionalidade-legalidade, na perspectiva do direito do trabalho, da relação contratual entre Petrobras e BW e eventual prestador de serviços, bem como a existência e a regularidade do trabalho de estrangeiros no navio-plataforma. O MPT/ES requisitou documentos das empresas indiciadas e solicitação de análise de acidente à Superintendência Regional do Trabalho do Espírito Santo (SRTE-ES). Essa documentação será aguardada para, posteriormente, definir as causas e circunstâncias do acidente do trabalho.

A plataforma produzia 2,25 milhões de metros cúbicos de gás por dia e 350 metros cúbicos de óleo por dia.

MORTOS
Quatro dos cinco corpos das vítimas da explosão em um navio-plataforma a serviço da Petrobras, no Espírito Santo, foram identificados. Os peritos ainda analisam os restos mortais de um funcionário que foi carbonizado. Entre os mortos, dois são do Rio de Janeiro, um do Espírito Santo, um do Rio Grande do Norte e outro estrangeiro [a principio seria indiano].

Os corpos de cinco vítimas do navio-plataforma Cidade São Mateus, que explodiu na cidade de Aracruz, foram levados para o Departamento Médico Legal de Vitória desde a noite quinta-feira.

Eles foram transportados em um helicóptero cargueiro do navio para a capital. Os parentes das vítimas chegaram ao DML por volta das 7h30 para providenciar a liberação para sepultamento.

Segundo funcionários do DML, quatro corpos já haviam sido identificados pelos familiares. Um corpo ainda não foi identificado, pois estaria carbonizado.

Deixe um comentário